terça-feira, 19 de abril de 2011

Galápagos 2011 - Parte 1. Ondas de Sul


Finalmente saiu o relato da trip para Galápagos que os amigos Fred, Tiago, André e Bruno fizeram no início de 2011. O relato é do nosso correspondente internacional Fred Schmidt e vai dividido em 3 partes...relaxa e aproveita o visual meu brow!! Aloha GD!!

Fala GD

Estou de volta de uma surf trip que fiz a Galápagos na companhia de 3 amigos (Bruno, Tiago e Andre) e posso dizer que aquele lugar é muito especial em todos os sentidos. Não são apenas suas ondas que encantam, mas sim o fato de se estar num arquipélago situado em pleno oceano Pacífico há cerca de 1.200km da costa equatoriana, repleto de vida selvagem, e em sua maioria endêmica, como as tartarugas de Galápagos, os atobás de patas azuis, as iguanas marinhas, dentre outros animais muito interessantes e bastante acostumados com a presença humana. Impressiona saber que Darwin esteve por lá há mais de 1 século atrás desenvolvendo a Teoria da Evolução e que as espécies estudadas por ele se mantém preservadas até hoje.

O ritmo nas ilhas é mais devagar, as cores são mais vívidas e as sensações afloram a cada instante, seja curtindo um belíssimo pôr-do-sol, dropando uma onda da série ou simplesmente apreciando os lobos marinhos brincando na água e dormindo pelos bancos do vilarejo. Quando você chega a Galápagos, tudo é maravilhoso... não é a toa que é conhecido como “Ilhas Encantadas”! A impressão que se tem é de se entrar numa espécie de transe para fazer parte daquele ambiente especial.

Desde nossa chegada até o dia de irmos embora o swell não parou de bombar ondas consistentes e perfeitas, que foram surfadas por nós nos principais picos de San Cristobal. Nos primeiros dias surfamos na Loberia e no Tongo. A Loberia é um pico de outside, bastante traiçoeiro nos dias grandes, onde rolam direitas e esquerdas... se você for pego de surpresa, pode tomar algumas bombas na cabeça! Tem que estar bem posicionado no outside para evitar o desconforto de um “passeio” pelo fundo, que é repleto de pedras. No geral as ondas estavam com 1.5m a 2m (com séries de 8 pés) e o mar estava quase sempre glassy, exceto nos dias de vento sul. A esquerda da Loberia é mais “buraca” e com uma seção tubular bem difícil. A onda termina em cima de uma ponta de pedras onde não dá pra vacilar. Em condições épicas, acredito que a esquerda lembre um pouco Pipeline.... ondas com muita força, proporcionando drops no limite e bastante verticais, seguidos por uma seção tubular curta e potente. A direita abre mais e proporciona uma extensa parede para manobras fortes.... rasgadas no crítico, cut-backs redondos e tubos também. No Equador impressiona tamanha variação da maré... chegamos a surfar na Loberia com maré 0,07m... nestas condições a onda fica bastante intensa, tubular e vertical. A baía que forma a praia fica repleta de pedras, assim como o outside, onde se pode ver cabeças de pedra bem onde a onda quebra, o que dificulta o drop ainda mais. A Loberia funciona tanto na maré seca, quanto na maré enchendo... swell de sul e vento norte. O nome Loberia é devido à praia estar localizada justamente onde existe uma colônia de lobos marinhos. Muitas fêmeas com seus filhotes se refugiam nessa praia, enquanto os machos dominantes protegem o grupo. Com uma máscara, snorkel e pés-de-pato dá para observar os lobos nadando bem próximo... os filhotes são bastante brincalhões e curiosos.

Fizemos várias sessões de surf no Tongo também. Um reefbreak pra esquerda, que forma uma onda de linha extensa e bastante manobrável... uma perfeição mecânica. Pegamos um bom swell de sul que encaixou na bancada do Tongo e proporcionou ondas desde 0,5m a 1,5m. Realmente a onda é fun e muito boa... longa, lisa e perfeita. Dizem que quando passa dos 2m ela conecta todas as seções, desde o pico do cantinho esquerdo até a praia, e da pra andar uns 400m. A galera se divertiu por lá e manobrou forte nas esquerdas do Tongo... alguns arranhões e cortes nas pedras não puderam ser evitados, mas nada grave. Tiago tomou um “atraso” ao levar uma rasteira de uma onda logo na entrada para surfar no pico... resultado: cortes nas mãos, perna e prancha toda lascada. rs!! Mas no dia seguinte lá estava ele de novo debulhando as ondas com suas potentes rasgadas e cut-backs. Bruninho também se destacou com seus power snaps e cut-backs executados com extrema maestria. No Tongo surfamos constantemente com os verdadeiros locais do pico... os lobos marinhos. Eles pegam as ondas lá fora e vem deslizando por trás das mesmas até chegar às pedras! Perfeito! Tartarugas verdes enormes emergem a todo instante para respirar e dar uma olhada ao redor... elas fazem um barulho forte da respiração e às vezes chegam a assustar quem está próximo do local de subida. O Tongo é um lugar abençoado e merece ser preservado para sempre.



Loberia

André na Loberia

Bruno botando pra baixo!!!

Bruno no botton...

Bruno mandando a famosa "Joka nas mãos de Deus!!"

Fredinho se tacando!!!

Fred iniciando a corrida...

Fredinho apostando corrida com o lip...

Tiago solto na vala...

Tiagão mostrando o que sabe..

Tiago se atirando..

Tiago no carve..

4 comentários:

Tiago disse...

Fred, arrebenta no surf, arrebenta na narrativa! Na minha segunda foto dá pra notar os remendos de silver tape na minha pobre prancha, que ao final da viagem estava inútil!
Ótima trip e ótima parceria. Se taca numa dessas com a gente GD!

Fred Schmidt disse...

Valeu GD! Ficou bacana a postagem... vamos manter essa parceria aqui no DSC. A viagem foi excelente! Altas ondas e boa companhia dos amigos. Espero que role uma outra surf trip com essa galera, e quero te ver nessa barca também. Valeu Tiago! Você foi o cara nessa trip... abusou do power surf e estava na disposição pra encarar as olas e pra remar sem parar. Abraços

André de Castro disse...

Faltou aí a vaca mais bela da viagem...

Anônimo disse...

o lugar parece ser o paraíso mesmo. vou incluir na minha lista de futuras surf trips. abraço. henrique